O contedo desta pgina requer uma verso mais recente do Adobe Flash Player.

Obter Adobe Flash player

Rolim de Moura: Sem grupo fechado, técnico do Rolim de Moura espera por reforços

Publicado Afotorm - 03/02/2014

Para os próximos dias irão chegar mais quatro atletas de outros estados para compor o elenco. Fernando Lage logo se comprometeu a apresentar o elenco fechado

Foto: Assessoria.

"- Serão realizados quatro amistosos até a estreia do campeonato, e já fizemos um onde a equipe empatou. Nos próximos irei avaliar os atletas e realizar cortes, até o fechamento do grupo – disse Fernando"

Antes do treino, a brincadeira do bobinho demonstra o clima de descontração entre os jogadores do Rolim. Treinando há duas semanas, a preparação é intensa, com treinos diários divididos em dois turnos: pela manhã os treinos são físicos e a tarde com bola. Os amistosos aos sábados também ajudam.
- Serão realizados quatro amistosos até a estreia do campeonato, e já fizemos um onde a equipe empatou. Nos próximos irei avaliar os atletas e realizar cortes, até o fechamento do grupo – disse Fernando, acrescentando que para os próximos dias irão chegar mais quatro atletas de outros estados para compor o elenco.

Um dos jogadores que estão brigando por uma vaga no clube é o volante Éric Gomes, que com apenas 25 anos já acumula no currículo carreira internacional. Depois de passar meia temporada na Grécia, ele espera contribuir com a experiência adquirida.
– Aos 17 anos já jogava no profissional, sempre fora de casa. Passei por clubes do Paraná e em seguida na Grécia, onde tive a minha melhor experiência. Jogar futebol é sempre um desafio, mas espero com um pouco de experiência ajudar o clube durante o campeonato – disse Éric confiante.
O mineiro Clayton Oliveira é outro velho conhecido do futebol rondoniense. No passado ele ajudou o Ariquemes a ir até a semifinal do Estadual. Longe da família, o goleiro conta que também aprendeu a driblar a saudade.
- Eu moro em Uberlândia, tenho uma filha de 10 anos e esposa. Sempre é muito difícil ficar longe da família, mas agora com a tecnologia consigo matar um pouco da saudade. Esse é o meu trabalho e a família sempre me apoia e dá forças para eu continuar – disse emocionado.




 



 

Fonte: www.radiosociedadeespigao.com.br