O contedo desta pgina requer uma verso mais recente do Adobe Flash Player.

Obter Adobe Flash player

Rondônia: Atingidos pela cheia fazem cadastro para receber auxílio do Governo de RO

Publicado Afotorm - 03/06/2014

Cadastro das famílias começou nesta segunda, 2, e segue até dia 14 de junho.
Interessados no benefício devem procurar Emater; nem todos têm direito.

Foto: Ivanete Damasceno/G1

"Cheia em Rondônia desabribou mais de
35 mil pessoas
..."

Os cadastros das famílias atingidas pela cheia do Rio Madeira que desejam receber o aluguel social pago pelo governo de Rondônia começaram a ser feitos, nesta segunda-feira (2), na Empresa de Assistência Técnica e Extensão Rural (Emater). Além do aluguel social, as famílias desabrigadas ou desalojadas devem receber R$ 1 mil. O cadastro deve seguir até o dia 14 de junho. Diariamente, serão distribuídas 300 senhas.
Pessoas idosas, com criança de colo e gestantes têm prioridade de atendimento garantida. Serão 4.937 famílias em todo o estado que devem rebecer o aluguel social, pago em seis parcelas de R$ 500. O benefício não é para todos. A diretora executiva de Assuntos Estratégicos, Rosana Vieira, explica quem tem direito. "É desalojado, tem direito ao benefício do auxílio aluguel social. Se voltou para sua casa, não tem mais direito. O benefício é para quem está fora de casa, morando de aluguel, na casa de parentes ou em abrigo", esclarece Rosana.
A aposentada Maria Teresa dos Santos afirma que a ajuda veio em boa hora. "Eu moro de aluguel ainda, só que já vou sair porque não tenho como pagar. O dono da casa já pediu para eu sair", disse Maria. Já a dona de casa Maria do Carmo afirma que com o dinheiro a situação vai melhorar. "Preciso muito desse auxílio. Meu marido está morando no interior, na casa de amigos, e eu estou aqui em Porto Velho. Esse dinheiro vai me ajudar a reconstruir o que a água destruiu", disse Maria do Carmo.
De acordo com o Governo do Estado, todos os cadastros serão analisados. O pagamento do aluguel social deve começar em 5 de julho.

 

 

 





 

 



 

 

 

 

 

Fonte: g1.globo.com/ro