O contedo desta pgina requer uma verso mais recente do Adobe Flash Player.

Obter Adobe Flash player

Rondônia sediará Batalhão da Força Nacional na Região Norte

Publicado Afotorm - 19/08/2014


Foto: Suzi Rocha/G1

"Os trabalhos das três companhias da Força Nacional, em Rondônia, devem iniciar pela região de conflito agrário no Vale do Jamari", ressaltou Prettz...

Porto Velho é a cidade da Região Norte escolhida para receber um dos quatro batalhões da Força Nacional Brasileira a serem implantados nos próximos meses em todo o País. O anúncio foi feito na manhã desta segunda-feira (18) pelo comandante-geral da Polícia Militar em Rondônia, coronel Fernando Luis Brum Prettz. Serão três companhias de 70 policiais, totalizando 210 homens.

O Batalhão da Força Nacional ficará instalado em uma área de 18 mil metros quadrados, cedida pelo governo estadual e localizada em frente ao Comando Geral da PM. Provisoriamente, o Batalhão funcionará na sede do Comando Geral.

"Temos uma extensa região de fronteira em Rondônia, com muitos problemas relacionados ao tráfico de drogas e ao contrabando. Este fator também contribuiu para que Porto Velho fosse escolhida para sediar o primeiro Batalhão da Força Nacional na Região Norte. Os trabalhos das três companhias da Força Nacional, em Rondônia, devem iniciar pela região de conflito agrário no Vale do Jamari", ressaltou Prettz.

A localização geográfica da capital também foi levada em consideração, por permitir um atendimento rápido aos estados do Acre, Amazonas e Mato Grosso, de acordo com o comandante. Segundo a Polícia Militar, o efetivo está sobrecarregado, e é de grande relevância o suporte da Força Nacional para atuar em apoio à ordem pública e a diminuição dos índices de criminalidade.

O comandante geral da PM destacou ainda que Rondônia possui as duas maiores usinas hidrelétricas do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC) e que a Força Nacional deverá auxiliar também na manutenção da ordem nos dois canteiros de obras. "Há mais de 12 mil funcionários nos dois canteiros, e nesses locais não é incomum vermos situações de vandalismo, incêndios, dentre outras confusões", afirmou.




 

 

 




 

 

 

 

 

Fonte: www.g1.globo.com/ro