O contedo desta pgina requer uma verso mais recente do Adobe Flash Player.

Obter Adobe Flash player

Base Aérea completa 30 anos de atuação em Rondônia

Publicado Afotorm - 03/11/2014

Base é uma importante unidade da Amazônia na defesa da soberania nacional

Foto: Vanessa Moura/Portal Amazônia

rolim-de-moura

Desfile da tropa em comemoração ao aniversário da BAPV.

PORTO VELHO – A Base Aérea de Porto Velho (BAPV) completou 30 anos nesta sexta-feira (31). A data foi celebrada com desfile da tropa e homenagem aos amigos da instituição. Conhecida como a guardiã da Amazônia Ocidental, a instituição tem como principais missões resguardar a segurança e promover a integração na Amazônia.

Desfile da tropa em comemoração ao aniversário da BAPV. Foto: Vanessa Moura/Portal Amazônia

Para o comandante da BAPV coronel aviador, Giancarlo França Apuzzo, o fato da Base está em um local distante dos grandes centros e em uma região de elevada importância estratégica torna a comemoração dos 30 anos um marco ainda maior para a instituição. ''A Base retrata o trabalho, o esforço, dedicação de diversos profissionais que buscaram a consolidação da soberania nacional'', considera.

Segundo o comandante, a Base Área de Porto Velho foi criada no intuito de ampliar a presença da Força Aérea na Região Norte. ''A Força Aérea criou o 7º Comar [Comando Aéreo Regional] em 1983 e duas bases aéreas, a de Boa Vista que aniversariou ontem e a de Porto Velho'', disse. A intenção era que a base servisse como desdobramentos de unidades áreas para operar a partir da região Amazônica. Mas a BAPV foi além.
Estrutura

''Hoje temos aqui sediadas duas unidades aéreas de extrema relevância no cenário nacional: o Esquadrão Grifo, unidade de aviação de caça que opera desde 1995 e desde 2005 com as aeronaves A-29 formando líderes de esquadrilhas e agindo diuturnamente em missões de policiamento. A Força Aérea escolheu essa Base na Amazônia para iniciar em 2010 a implantação do único helicóptero de ataque, o MI-35,em virtude também da importância estratégica e hoje ele está plenamente operacional'', aponta.
Além dos avanços já pontuados, o comandante anunciou novidade na BAPV. '' Baseado na estratégia nacional de defesa e para dar suporte aquilo que já existe estamos recebendo o 5º esquadrão do 1º Grupo de Comunicações e Controle que vai agregar uma capacidade operacional muito grande não só a Base Aérea de Porto Velho, mas da região Amazônica como um todo. Essa unidade é responsável por operar um radar de aproximação e precisão que aumenta em muito a capacidade de recolhimento de aeronaves em voo, principalmente quando em condições meteorológicas adversas'', afirma.

Desafios

Para o comandante a manutenção da BAPV oferece desafios constantes. ''Os desafios foram imensos. Implantar e operar uma unidade na região Amazônica, longe dos grandes centros tem desafios logísticos muitos grandes e são superados a cada dia. De 1994 para cá, a Base Aérea cresceu muito. Triplicou seu efetivo''.
Além de dar suporte às atividades da Força Aérea, a Base também tem desempenhado ações sociais, como o suporte dado durante a histórica cheia do rio Madeira que levou Rondônia a decretar estado de calamidade pública. ''Atuamos em ações sociais dando apoio a atendimentos médicos e também em atividades educativas em locais de difícil acesso''.

Por Vanessa Moura

Fonte: portalamazonia