O contedo desta pgina requer uma verso mais recente do Adobe Flash Player.

Obter Adobe Flash player

UNESCO vai enviar peritos para examinar possível naufrágio da nau 'Santa Maria'

Publicado Afotorm - 03/07/2014

A Organização das Nações Unidas para a Educação, Ciência e Cultura ( UNESCO ) anunciou que vai prestar a assistência técnica solicitada pelo Governo do Haiti e enviar uma missão para o local de um antigo naufrágio, identificado como sendo a nau Santa Maria , utilizada por Cristóvão Colombo na sua primeira viagem à América.

Foto: Assessoria.

"A UNESCO disse num comunicado de imprensa que vai enviar uma missão nos próximos meses para examinar os destroços localizados perto da cidade de Cabo Haitiano, no norte do país."

Numa carta datada de 12 de junho, a ministra da Cultura do Haiti, Monique Rocourt, solicitou o apoio do Comité Técnico/Científico Consultivo da Protecção do Património Cultural Subaquático, pedindo o envio de uma missão de peritos analisarem o sitio identificado pelo americano Barry Clifford como sendo o local onde se encontra naufragada a nau Santa Maria.

A UNESCO disse num comunicado de imprensa que vai enviar uma missão nos próximos meses para examinar os destroços localizados perto da cidade de Cabo Haitiano, no norte do país.

Irina Bokova, Diretora-Geral da UNESCO, expressou preocupação devido ao "risco de pilhagem do património subaquáticos ao largo das costas do Haiti. Estamos solidários com as autoridades no combate ao tráfico ilícito de objetos subaquáticos que integram o património cultural e instar os estados a juntar os esforços para que sejam encontrados os artefatos roubados dos sítios arqueológicos subaquáticos do Haiti, nomeadamente o que vai ser visitado pela missão da UNESCO".

Em 14 de maio deste ano, Bill Clifford, um explorador submarino norte-americano, afirmou ter identificado os destroços da Santa Maria , uma das três naus que Cristóvão Colombo levou na sua primeira travessia do Atlântico. A Santa Maria afundou em 25 de dezembro de 1492.

Muitos exploradores sem formação científica, incluindo a equipa de Bill Clifford, já visitaram o naufrágio em 2003 e identificaram um canhão que se acredita datar do século XV. Um canhão que acabou por desaparecer, tendo entrado no lucrativo comércio ilegal de artefactos provenientes do mar do Haiti.

A Convenção para o Património Subaquático da UNESCO, aprovada em 2001, visa assegurar a salvaguarda do património subaquático e apoiar a investigação e a cooperação internacional neste domínio. Os Estados que a ratificaram - 48 até à data, incluindo o Haiti - comprometem-se a preservar esta herança, prevenir a exploração comercial dos sítios e lutar contra o tráfico ilícito de artefatos roubados.

Este Comité Técnico/Científico Consultivo é composto por 12 especialistas internacionalmente reconhecidos que foram eleitos durante a reunião dos Estados que subscreveram essa Convenção Internacional.

 

 




 

 

 

 

 

Fonte: Centro de Notícias da UNESCO