O contedo desta pgina requer uma verso mais recente do Adobe Flash Player.

Obter Adobe Flash player

Rolim de Moura: Vereador Juninho está indignado com mentiras do Presidente do Sintra-Ali

Publicado Afotorm - 27/05/2015

Ação Judicial está sendo interposta junto ao Ministério do Trabalho para transparência no Sintra-Ali.

Foto: Assessoria

rolim-de-moura

"Mudanças já" proposto por vários sindicalizados e que tem o apoio da Câmara Municipal.."

Na Sessão Ordinária realizada na última sexta feira, dia 22 de maio, na Câmara Municipal de Rolim de Moura, o Presidente do Legislativo, Vereador João Rossi Júnior "Juninho" demonstrou toda sua indignação com o Presidente do Sindicato dos Trabalhadores nas Indústrias de Carne de Rolim de Moura – Sintra-Ali, devido as mentiras levadas nas indústrias quanto as horas in itinere.
Conforme discurso do vereador, o presidente do sindicato preocupado com os rumos de sua administração, e o aumento do movimento "mudanças já" proposto por vários sindicalizados e que tem o apoio da Câmara Municipal, esteve nas últimas semanas visitando os frigoríficos e afirmando "que o Vereador Juninho foi o proponente para acabar com as horas in itinere dos colaboradores". O fato é que foram protocolados vários documentos junto ao Sintra-Ali e até o momento não se obteve nenhuma resposta, o que levou o advogado do movimento já esta entrando com uma ação judicial junto ao Ministério Público do Trabalho em Ji-Paraná para que o Sintra-Ali honre a transparência. "Tenho sido procurado via redes sociais, no Gabinete e até na rua com referência ao movimento e a situação do sindicato". Disse o Vereador Juninho.
Para que fique explícito e a bem da verdade, quando se trata de horas in itíneres, não é o Vereador Juninho, mas uma Súmula do Tribunal Superior do Trabalho, de nº 90, que já reconhece e faz referência ao assunto. Para configurar-se a hora in itinere (ou hora no itinerário, em tradução livre), há que se preencherem todos os requisitos dispostos no inc. I da súmula em comento. Além de o transporte ser fornecido pelo empregador, o local de trabalho deve ser de difícil acesso ou não servido por transporte público regular. São esses os dois requisitos legais: condução fornecida pelo empregador e local de difícil acesso ou não servido por transporte público regular, o que se enquadra perfeitamente para os colaboradores dos frigoríficos do município, fato esse que o sindicato deve saber, e não transferir as responsabilidades que são de sua competência, lutar pelos direitos dos seus filiados.
Juninho vai além, cita os vários acidentes de trabalho acontecidos ao longo dos anos, seja de bicicleta, motos ou mesmo nos veículos que transportam os trabalhadores. "E nós fizemos sim, com que o Contram e a Ciretran fizesse uma barreira e garantisse veículos em condições de trafegabilidade para segurança dos colaboradores". Disse o Presidente da Câmara, acrescentando ainda que junto com o movimento "Mudanças já" estarão organizando um movimento nas próximas semanas, com referência a causa trabalhista junto ao Grupo Marge que até agora ninguém conseguiu receber. "O Presidente do Sintra-Ali não precisa ficar preocupado com o Vereador Juninho, porque não é somente eu e o Vereador Márcio, mas o Poder Legislativo de uma forma geral que apoia o movimento, pois aqui é a casa do povo e esse poder representa a população de Rolim de Moura. O Plenário dessa casa está de portas abertas para o Presidente do Sitra-Ali vir fazer sua prestação de contas, mostrar o que foi arrecadado, o que foi gasto e o que tem feito pelos colaboradores durante todos esses anos à frente da diretoria, na hora que ele quiser, não ficar ameaçando, e usando o trabalhador como moeda de barganha, tem que mostrar ao trabalhador quanto é o seu salário e como faz para obter mansão e andar em veículos como você anda". Disse Juninho.


 

 

Fonte:Assessoria de Comunicação da Câmara Municipal de Rolim de Moura